Avançar para o conteúdo principal

É carnaval, ninguém leva a mal. Será mesmo?

Este ano celebrei o Carnaval em Aalst, uma das cidades belgas mais conhecidas por causa do carnaval e por causa das famosas" Janettes" que contrariamente ao que o wikipédia sugere não são "joanas sujas" nem sei que tradutor deficitário em comprensão teve tal ideia. As "Jannetes" é uma palavra usada para os homossexuais que são mais femininos e por isso mais evidentes do que os outros. A parte do sujo é criação bizarra e aleatória de alguma mente retrógada.
Durante o cortejo, chamou-me a atenção o carro dedicado à presidente da câmara (prefeita) da cidade Ilse Uyttersprot, uma mulher semi-despida numa torre: os locais decidiram fazer chacota da presidente que foi filmada com um ex-namorado a ter relações sexuais num telhado. O país onde foram filmadas estas imagens permanece dúbio. O video do you tube que incialmente se pensou que fosse abalar a carreira política desta mulher acabou por a tornar ainda mais mediática. Isto dá que pensar: não só pela comédia ser feita numa cidade onde todos se consideram muito liberais e  porque nunca um escândalo sexual com homens na política foi considerado como verdadeiramente negativo:  Sarkozy com as suas aventuras amorosas ganhou fama de mulherengo glamoroso e Bill Clinton ainda se tornou mais mediático depois da história do "blow job" da Monica Lewinsky. Perguntei-me durante dias o que deve ter pensado Ilse depois de ver o carro carnavalesco com a sua caricatura gigante a desfilar na sua própria cidade mas depois recebi a notícia que Ilse estava a aproveitar o Carnaval vestida de "Torre".
                 

Por outro lado não deixa de ser fascinante que mais uma vez o "homem político" seja qualquer for a sua tendência sexual ganha sempre pontos.Elio di Rupio foi apresentado como gay.Não teve direito a carro carnavalesco mas alguns populares apresentavam o primeiro ministro com papéis como " gaye fatale" ao mesmo tempo que um desenho ilustrava como o "gay

podia urinar" sorrindo para Bart de Wever. Foi ainda surpreendente a criação linguística deste pequeno grupo que espalhavam os papéis pela cidade ao apresentar o novo primeiro ministro como " la jannete que rit" frase que significa: o homossexual feminino que ri, os populares apresentaram assim o seu ministro por analogia à famosa marca de queijo: " la vache que rit". Uma ideia bem divertida para o Carnaval.

Comentários

  1. Fico a pensar na cara desses políticos ao verem suas caricaturas a desfilarem das formas mais banais!
    É no carnaval que o povo, comicamente, põe pra fora o seu sentimento de indignação. Vale à pena ver! Um grande abraço Paula!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Rui de Paula: sinónimo de comida portuguesa de luxo


       O cozinheiro Rui de Paula, do Porto é um fenómeno mundial e  local de sucesso. Em Portugal tem dois  restaurantes de renome o primeiro entre a Folgosa e o Pinhão no rio Douro  o Doc,  e  segundo, o Dop no Porto  que fica localizado no Palácio das Artes na Fábrica de Talentos mais precisamente no Largo de S. Domingos.

 Em Setembro esteve na Suíça e foi motivo  de orgulho e admiração pelos portugueses que trabalham na cozinha  e de surpresa  pelos suíços. Falei com o chefe de cozinha Carlos Manuel Gonçalves que trabalha  há 21 anos como cozinheiro  e que tem como fundo de especialização gastronómica  a cozinha italiana e suíça.

  Carlos Gonçalves explicou que Rui de Paula esteve a trabalhar no workshop do restaurante de 14 a 21 de Setembro e esteve a explicar como confeccionar os pratos que ele criou sempre com um fundo tradicional apesar de serem inovativos.
    O chefe do restaurante Santa Lucia Teatro em Zurique, na Suíça afirmou que o que mais o surpreendeu foi o…

Da deficiência

Há dias chamou-me atenção a notícia amplamente divulgada no Facebook sobre o campeonato mundial de Atletismo de Síndrome de Down. A equipa portuguesa foi a vencedora e no post o autor queixava-se que a notícia não seria divulgada nos media.O post atraíu a minha atenção não pela queixa mas pelo facto do dito autor do texto não ter fornecido mais informações sobre o nome do vencedor, biografia ou detalhes da prova.


Um outro post no facebook semanas antes atraíu também a minha atenção: desta vez por causa da reivindicação social de outro atleta português paralímpico que tinha parado de receber subsídio social do estado português sem razão aparente. A acompanhar o post o atleta diz: "Eu, David Grachat, portador de deficiência física - mal formação congénita (amputado da mão esquerda), encontro-me há mais de 1 ano e 6 meses numa luta com o Serviço Português da Segurança Social, serviço esse que me retirou os meus direitos enquanto cidadão com deficiência."Na foto o atleta pede q…

Saber lavar as mãos

Hoje não consigo parar de pensar nas pessoas que sabem lavar as mãos.  Depois de ler sucessivas notícias  como:  Paris "precisa de portugueses para trabalhar na Disneyland", ou "AutoEuropa leva pessoal para emigrar para a Alemanha" ou "1.550 ofertas de emprego nos Estados Unidos" ou " Oportunidades em Moçambique" e notícias associadas com os melhores empregos no Brasil, em Angola e na " Conchichina" não aguento mais!   Apesar de eu própria ter emigrado há algum tempo, existe uma voz que incomoda e que me diz com persistência: mas porque motivo temos todos agora de emigrar em massa? Porque razão se somos o mesmo povo temos sucesso noutros países e não no nosso país de origem? E de repente recordo essa cena de Pilatos a lavar as mãos na água antes de Cristo ser sacrificado...  Existe agora o argumento da moda, chama-se "CRISE", esse monstro pavoroso criado por alguns para aterrorizar uma maioria demasiado ocupada para se preoc…