segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

É carnaval, ninguém leva a mal. Será mesmo?

Este ano celebrei o Carnaval em Aalst, uma das cidades belgas mais conhecidas por causa do carnaval e por causa das famosas" Janettes" que contrariamente ao que o wikipédia sugere não são "joanas sujas" nem sei que tradutor deficitário em comprensão teve tal ideia. As "Jannetes" é uma palavra usada para os homossexuais que são mais femininos e por isso mais evidentes do que os outros. A parte do sujo é criação bizarra e aleatória de alguma mente retrógada.
Durante o cortejo, chamou-me a atenção o carro dedicado à presidente da câmara (prefeita) da cidade Ilse Uyttersprot, uma mulher semi-despida numa torre: os locais decidiram fazer chacota da presidente que foi filmada com um ex-namorado a ter relações sexuais num telhado. O país onde foram filmadas estas imagens permanece dúbio. O video do you tube que incialmente se pensou que fosse abalar a carreira política desta mulher acabou por a tornar ainda mais mediática. Isto dá que pensar: não só pela comédia ser feita numa cidade onde todos se consideram muito liberais e  porque nunca um escândalo sexual com homens na política foi considerado como verdadeiramente negativo:  Sarkozy com as suas aventuras amorosas ganhou fama de mulherengo glamoroso e Bill Clinton ainda se tornou mais mediático depois da história do "blow job" da Monica Lewinsky. Perguntei-me durante dias o que deve ter pensado Ilse depois de ver o carro carnavalesco com a sua caricatura gigante a desfilar na sua própria cidade mas depois recebi a notícia que Ilse estava a aproveitar o Carnaval vestida de "Torre".
                 

Por outro lado não deixa de ser fascinante que mais uma vez o "homem político" seja qualquer for a sua tendência sexual ganha sempre pontos.Elio di Rupio foi apresentado como gay.Não teve direito a carro carnavalesco mas alguns populares apresentavam o primeiro ministro com papéis como " gaye fatale" ao mesmo tempo que um desenho ilustrava como o "gay

podia urinar" sorrindo para Bart de Wever. Foi ainda surpreendente a criação linguística deste pequeno grupo que espalhavam os papéis pela cidade ao apresentar o novo primeiro ministro como " la jannete que rit" frase que significa: o homossexual feminino que ri, os populares apresentaram assim o seu ministro por analogia à famosa marca de queijo: " la vache que rit". Uma ideia bem divertida para o Carnaval.

1 comentário:

  1. Fico a pensar na cara desses políticos ao verem suas caricaturas a desfilarem das formas mais banais!
    É no carnaval que o povo, comicamente, põe pra fora o seu sentimento de indignação. Vale à pena ver! Um grande abraço Paula!

    ResponderEliminar