domingo, 27 de dezembro de 2009

A " Crise" em Portugal

Boa tarde,

Escrevo neste momento de um dos cafés locais do lugar onde sou nativa: Fridão.
Uma das aldeias que pertencem a Amarante, uma cidade que fica no interior de Portugal entre Trás-os-Montes e o Minho.
Por aqui fala-se de crise, mas ninguém fala de outro tipo de crise. A crise do homem dos autocarros que não tem informções e que não sabe nada sobre horários de autocarros, a crise do Médico que entra a serviço a horas indeterminadas entre o cigarro e o café da manhã. Aqui ninguém fala da crise que é a construção de uma barragem que vai submergir uma obra de milhares de euros, ninguém fala de um centro de estágio que demorou cerca de uma década a ser contruído e que vai ficar debaixo de àgua...deve ser a canoagem... Ninguém aqui fala da crise de milhares de euros de dívida externa que Portugal tem com o estrangeiro e das guerras entre políticos nacionais e locais que em vez de procuarem soluções passam a vida, num exercício inútil de ver que é que tem razão.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

De Marcelo, sobre Marcelo e o que o Marcelo diz





















Boa noite estimado leitor,

Escrevo hoje esta carta de apelo. Não suporto mais as "Escolhas de Marcelo, ou o que pensa o Marcelo ou o que faz o Marcelo. Não é possível que em Portugal Continental ou nos aquipélagos exista um e só um Marcelo!
A senhora que pensa que é jornalista faz-me doer os olhos de tanta imobilidade.
O curioso é que aqui ninguém questiona os estatutos profissionais. O Marcelo que é Rebelo de Sousa que encontre por amor de Deus alguém menos apático e capaz de discordar consigo. Um país com um só Marcelo, uma só Cp, um só CTT... é um país claustrofóbico! Mas mesmo fora do país ainda ligo a rtp internacional e vejo lá o Marcelo!! Será que não existe lugar para os apartidários como eu? Será que viverei até ao fim da minha vida a observar o grande império da Sonae e a ser engolida por tudo o que é massificado, monopolizado e absurdo?
Pelo menos você Marcelo encontre por favor um homónimo à sua altura. Obrigado.