quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O desconto das finanças que nunca aconteceu

Estimados leitores,

Hoje escrevo indignada. Por amor de Deus, digam ao D`antas, ao homem que cheira mal da boca e que trabalha nas finanças que eu não posso descontar para as finanças portuguesas um artigo que nunca me foi pago apesar da maldita compilação de frases ter sido publicada...digam a esse D´antas que usa ceroulas que pare de tentar fingir que sabe enviar e-mails e que pare de usar essas orelhas e de fazer urrrrrrrr...quando lhe digo que não vou descontar para as finanças para depois ter de pagar imposto como independente por ter decidido escrever por livre arbítrio
um artigo sobre "Uma exposição de Portugal e os descobrimentos" (imagine-se a ironia)!!!!! De descobridores passamos a D´antas. Gostava ainda de dizer mais uma coisa, esta mania dos recibos verdes só me faz é lembrar o papel higiénico e digo mais: se não fosse pelo papel ser de tão má qualidade usava-o com um fim mais digno e fazia questão de primir o papel seguinte com tal vigor que nunca mais ninguém me pediria confirmação de dados ou tão pouco que inventasse valores ou preenchesse espaços, quando o espaço mostra que afinal os portugueses são canalhas improdutivos porque imagine-se não são pagos!!!Nem são suficientemente criativos (como eu)
para imaginar que foram pagos e descontarem depois mais impostos nos anos seguintes para um estado que vive afinal de D´Antas como aquele das finanças.

Sem comentários:

Enviar um comentário